Veja como escolher um candidato para votar em outubro

Por | 24 de setembro de 2018 às 7:56

Escolha consciente é feita com boa informação
FOTO: DIVULGAÇÃO TSE

Dá trabalho, mas os sites oficiais e jornalísticos têm muitas informações.

Pesquisar a vida pregressa do candidato ou candidata a um cargo público dá trabalho. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), eram mais de 28,8 mil candidaturas registradas até o dia 10 de agosto, incluindo todos concorrentes a presidente da República, governador, senadores, deputados federal e estadual.

Mas, faltando pouco mais de duas semanas para as eleições, se aproxima o prazo para que todos os 147 milhões de eleitores tomem sua decisão para o primeiro turno da votação, que ocorre em 7 de outubro. Mas como saber, por exemplo, se essas pessoas têm processo na Justiça, com quais partidos ele está coligado, se ficou mais rico depois que assumiu um mandato ou de onde vem o dinheiro que está financiando a campanha do candidato? A BBC preparou um guia para ajudar o eleitor a buscar informações, dependendo do status do eleitor: se já escolheu ou não o nome de um candidato preferido.

Se você ainda está em busca de um ou mais nomes em quem votar, é preciso levar em conta alguns critérios.

A) Cheque o discurso e os valores que ele defende

O TSE orienta que o eleitor deve, primeiramente, identificar que valores e princípios ele julga serem os mais importantes a serem defendidos pelo seu representante. Ainda que haja afinidade do eleitor com o candidato, o TSE lembra que é preciso se esforçar “para escolher candidatos que tenham preocupações universais, ou seja, preocupações que dizem respeito ou são aplicáveis a todas as pessoas e não só a um pequeno grupo”. Procure ver que o candidato já falou e pesquise a biografia dele. Também vale olhar o que o partido ao qual o candidato está filiado defende. Há novos aplicativos e sites que prometem, a partir de questionários curtos, ajudar a definir o perfil de eleitor e listar candidatos que, em tese, compartilhariam os mesmos valores.

B) Procure, em fontes confiáveis, o que ele propõe

As propostas de um candidato também são importantes na hora de escolher um nome para votar. Leia o verso dos panfletos que trazem fotos dos candidatos, confira o site oficial e as postagens deles nas redes sociais, e assista aos debates. É possível, por exemplo, saber se as promessas de um candidato são compatíveis com o cargo que ele ou ela pretende ocupar. Cada cargo tem limitações e prerrogativas distintas. Além disso, lembre-se de que propostas genéricas como “vou acabar com o desemprego” ou “prometo melhorar a qualidade das escolas e dos hospitais”, sem estabelecer metas numéricas, prazos ou fontes de financiamento são fáceis de fazer , mas muito difíceis de executar.

“É possível reconhecer e descartar o político falastrão e despreparado”, diz o TSE, que disponibiliza em seu site detalhes de todos os candidatos que apresentaram pedido de registro, incluindo as propostas de campanha apresentadas (confira na sessão “documentos” ao entrar na página de cada candidato no TSE). A BBC News Brasil também preparou reportagem sobre as principais propostas dos presidenciáveis.

O partido ao qual o candidato está filiado pode dizer muito sobre a seriedade e as intenções de um postulante a um cargo eletivo. Mas é preciso também prestar atenção à coligação da qual ele faz parte para saber com quais partidos o político está associado – e é muito comum ver, por exemplo, adversários na esfera nacional fazendo campanhas juntos nos Estados.

No caso dos candidatos à Presidência e ao governo de Estado, integrantes da coligação provavelmente serão os que vão fazer parte da base de apoio e vão compor o governo. As coligações também servem para aumentar as chances de siglas pequenas e médias elegerem representantes para assembleias legislativas e Câmara dos Deputados – mesmo votando numa pessoa, os votos vão para a coligação e, por isso, nem sempre o nome mais votado é eleito.

Normalmente as coligações ganham “nomes fantasia” e aparecem em letras pequeninas nos panfletos, na televisão e nos sites dos candidatos, e são faladas muito rapidamente nas propagandas no rádio. Também estão disponíveis no site do TSE.

C) Se ele faltar, quem ficará em seu lugar?

No caso do Senado, é importante também saber quem são os dois suplentes do candidato ou candidata, já que ele eles assumem se o (a) senador (a) se licenciar para, por exemplo, assumir um cargo no governo. E é sempre bom saber o nome e a biografia do vice dos candidatos a governador e a presidente, afinal o voto vai para a chapa completa e não apenas para o titular.

Essas informações podem ser encontradas no site do TSE: http://www.tse.jus.br/eleicoes/eleicoes-2018/divulgacandcontas#/. A BBC News Brasil também já publicou reportagem sobre quem são os candidatos a vice-presidente e o que eles agregam a seus presidenciáveis e ainda texto sobre a importância do vice-presidente. Vale lembrar que vices e suplentes também podem ter suas candidaturas barradas se não cumprirem os requisitos impostos pela Justiça Eleitoral.

Fonte: Gazetaweb.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

EQUIPE DEL

WELINGTON SANTOS
TAUIR WAGNER
MARCIA QUEIROZ
PAULO LIMA
DIOGENES MODESTO
PARCEIROS
REAL CALÇADOS
cachoeira
Rádio Delmiro © 2014-2017 Todos os direitos reservados.