Nesta segunda-feira (12), a equipe da Policlínica Regional de Saúde comemorou o primeiro mês de funcionamento da unidade sediada em Paulo Afonso. Inaugurada no dia 12 de julho para atender a nove municípios que fazem parte do Consórcio Intermunicipal de Saúde (Cis), a policlínica oferta 36 tipos de procedimentos de média e alta complexidade e 19 especialidades médicas, beneficiando mais de 25 mil pessoas.

O secretário municipal de Saúde, Ivaldo Sales Júnior, participou da comemoração, juntamente com o presidente do Cis, Carlos Clériston, além da equipe e pacientes de diversas localidades. Ivaldo enfatizou a importância da união entre os municípios para a formação do consórcio e ressaltou o empenho do prefeito Luiz de Deus em investir na melhoria da qualidade da saúde, o que, segundo ele, foi fundamental para a construção da Policlínica.

“É uma alegria muito grande comemorar o primeiro mês de funcionamento da Policlínica de Paulo Afonso, este importante equipamento que nossa região ganhou para ofertar mais serviços à população dos nove municípios consorciados. O prefeito Luiz de Deus tem uma preocupação constante em investir cada vez mais na qualidade do atendimento da saúde, e a Policlínica é mais uma prova disso”, falou Ivaldo Sales Júnior.

Para o paciente Francisco Carlos, residente em Jeremoabo, os primeiros trinta dias de funcionamento da unidade já podem ser vistos como um avanço na saúde da região. Segundo ele, o fim da dificuldade de acesso aos serviços de alta complexidade já é um motivo para comemorar.

“A saúde da nossa região está de parabéns. Os Consórcios de Saúde são um avanço na Bahia e as Prefeituras acertaram quando se uniram para trazer a Policlínica. Antes, nós tínhamos dificuldade de acesso ao atendimento especializado, e agora, com essa aqui construída aqui em Paulo Afonso e a facilidade que os pacientes de outras cidades têm para chegar até aqui, nós temos motivos para comemorar”, disse seu Francisco.

As policlínicas regionais são construídas a partir da formação de consórcios intermunicipais de saúde. Os consórcios são constituídos sob a forma de associação pública, entidade autárquica e interfederativa para a promoção de ações de saúde pública assistencial e prestação de serviços especializados de média e alta complexidade. Os custos de manutenção das unidades são rateados, sendo 60% aplicados pelos municípios consorciados e 40% pelo Governo do Estado.